Zahyra Mattar
Braço do Norte

Desde a tarde de quarta-feira, a Polícia Militar de Braço do Norte está literalmente à caça de um detento do Presídio Regional de Tubarão. Residente em Braço do Norte, ele recebeu o benefício do indulto de Páscoa (regalia de liberdade de sete dias, geralmente, condicionada ao retorno para a prisão) para passar a data com a família. Em poucos dias de liberdade, o rapaz conseguiu uma segunda acusação que lhe dará mais alguns anos de detenção.

Ele e um ex-colega de cela, um jovem de 24 anos condenado por estorção mediante violência, que cumpre o restante da pena em liberdade condicional, também em Braço do Norte, onde reside com a família, resolveram que queriam um ‘coelho gordo’ nesta Páscoa. Os dois arrombaram e furtaram jóias de uma residência no bairro Vila Nova.

Um policial militar de folga, morador da mesma localidade, viu os dois saindo da casa e desconfiou, já que ambos são figuras conhecidas das autoridades do município. O rapaz que cumpre pena em liberdade condicional foi detido no momento em que saía da cena do crime. Ele deletou o comparsa.

A PM foi até a casa do outro rapaz e ele fugiu para um matagal próximo. A polícia iniciou as buscas de imediato e, até a noite desta quinta-feira, ele ainda não tinha sido localizado. A população garante que o acusado ainda está escondido no mato e a sua prisão é uma questão de tempo. As rondas foram reforçadas nas proximidades e devem permanecer assim até que ele seja recapturado.