Rafael Andrade
Tubarão

Dos quatro adolescentes com idades entre 16 e 18 anos, que fugiram neste fim de semana do Centro de Internamento Provisório (CIP) de Tubarão, três continuam nas ruas. Dois deles são de Criciúma e a polícia acredita que a dupla tenha voltado para a cidade natal.
Um inquérito foi instaurado ontem para apurar os detalhes da fuga. Existe a possibilidade de facilitação por parte dos dois educadores que estavam de plantão no sábado, quando os adolescentes escaparam.

Os profissionais foram transferidos para outras unidades do estado e estão sob investigação. “Não posso passar muitos detalhes porque eu não estava no CIP no momento das fugas. O local está superlotado e necessita de uma reforma. Fazemos o possível para evitar este tipo de problema e incrementar a reeducação aos menores”, ressalta Marconi Ribas Mendes, coordenador geral do CIP de Tubarão e de outras duas unidades de internamento para menores em Santa Catarina.

“É preciso investigar o que realmente houve. Como isso pode ocorrer em um lugar com 14 internos?”, indaga o delegado Jair Tártari, responsável pelo inquérito.
“O que intriga é o fato das câmeras de monitoramento estarem desligadas durante as fugas. Sempre fazemos a manutenção no sistema de vigilância”, garante a coordenadora administrativa do CIP, Adriana Silva.

Os infratores alcançaram a ‘liberdade forçada’ após renderem um dos educadores em uma sala. Eles arrombaram a porta de acesso ao estacionamento e pularam o muro dos fundos da instituição. Um outro educador teria visto o trio sobre o muro, mas não teria dado tempo de impedir as fugas.

Atenção redobrada
A Polícia Militar de Tubarão e Criciúma está em alerta. Os adolescentes que fugiram têm envolvimento em roubos, furtos e tráfico de drogas.

Não há vagas no estado por enquanto
A superlotação também atinge as unidades de internamento para menores infratores. Um adolescente de 16 anos, detido pela Polícia Militar na semana passada em Tubarão, com quase 200 pedras de crack, foi liberado por falta de vagas no CIP. A fila de espera é muito grande nas promotorias e juizados especializados a menores. O Departamento de Justiça e Cidadania de Santa Catarina tenta minimizar o problema com a construção de novos CIPs.

6 detentos são transferidos após planejarem fuga

A direção do Presídio Regional de Tubarão transferiu ontem seis detentos da ala do seguro à Penitenciária Sul e Presídio Santa Augusta, ambos em Criciúma. A ação foi uma forma de ‘castigo’ ao grupo que planejava uma fuga da instituição, até ontem com 322 reclusos.

Os transferidos tentaram fazer um buraco na ala do seguro – local onde ficam os presos jurados de morte, os estupradores, agressores de mulheres e crianças -, no domingo à tarde, dia de visita. “A ação foi descoberta a tempo por agentes e pelos policiais militares de plantão. Existe uma grade pelo lado de fora e eles tentaram cavar com um ferro de proteção retirado da rede de esgoto do setor. Não toleramos este tipo de atitude”, afirma Deiveison Querino Batista, diretor da unidade carcerária tubaronense.