Rafael Andrade
Tubarão

Os estudos técnicos para a fiscalização do excesso de velocidade nas rodovias federais de Santa Catarina foram concluídos nesta quarta-feira. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) apontou condições de uso dos radares fotográficos móveis.
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) já retomou a utilização dos equipamentos. “Em alguns pontos, os aparelhos são fundamentais para coibir o excesso de velocidade e prevenir acidentes”, avalia o inspetor do Departamento de Polícia Rodoviária Federal de Florianópolis, Leandro Andrade.

Em Santa Catarina, a PRF possui cinco radares fotográficos do tipo estático (medidor de velocidade instalado em veículo parado ou em suporte apropriado) e sete radares do tipo portátil (medidor de velocidade direcionado manualmente para o veículo alvo – sem registro de imagem).

Todos os equipamentos encontram-se devidamente homologados e aprovados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).
Para atender a exigência da Resolução número 146 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a PRF firmou convênio com o Dnit. Os estudos técnicos somente podem ser feitos por engenheiros regularmente registrados no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea).

Em resumo, a avaliação confirmou a necessidade da fiscalização do excesso de velocidade para fins da segurança do trânsito, o que considera diversos aspectos relacionados à rodovia, tais como o traçado da via, estatísticas de acidentes e fluxo de veículos.

Fiscalização e congestionamento

O posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Tubarão, na BR-101, possui um radar fotográfico móvel e dois que não registram imagem, só a velocidade – o radar tradicional. Outro é usado em Paulo Lopes e um em Araranguá. “Já estamos atuando na fiscalização”, garante o inspetor da PRF de Tubarão, Teodoto José Tonon.
A tolerância de velocidade na BR-101 em pista simples é 88 quilômetros por hora. “O mesmo limite vale para os pontos da rodovia que já estão duplicados”, informa Tonon. No trecho entre Tubarão e Laguna, quase oito quilômetros estão duplicados.

Conforme informa o inspetor, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) realizará uma nova avaliação assim que o trecho sul da BR-101 for totalmente duplicado (a previsão da pista duplicada é dezembro de 2010).
O limite de velocidade será de 110 quilômetros por hora. “Em relação à utilização dos radares e controle de tráfego, são pontos estratégicos que usamos esse tipo de equipamento. Em nossa região, a velocidade média, nesta época do ano, não passa de 60 quilômetros por hora. É muito movimento”, detalha Tonon. A Operação Fim de Ano da PRF segue até domingo nas rodovias federais de Santa Catarina.

O movimento na BR-101, entre Tubarão e Imbituba, aumentou cerca de 250%. A viagem entre Tubarão e Laguna, por exemplo, os motoristas levam cerca de duas horas e meia para completar o percurso que, em dias normais, seria feito em 30 minutos.