Tubarão

Em alusão ao Dia Mundial da Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa, celebrado hoje, a Polícia Civil de Santa Catarina reforça o compromisso com a garantia dos direitos dos idosos. No estado, existem 30 Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAPMIs) responsáveis por prestar este tipo de atendimento. 

Para a Polícia Civil, é imprescindível que as pessoas tenham coragem de denunciar quando souberem de algum tipo de ocorrência. “As delegacias são instrumentos para buscar a proteção deste público, que, muitas vezes, é vulnerável”, destacou a coordenadora estadual, delegada Patrícia Zimmermann D’Ávila. Conforme ela, a violência contra a pessoa idosa pode assumir várias formas e ocorrer em diferentes situações.

Em Tubarão, na Dpcapmi, as informações não são assustadoras. “Felizmente não temos a mesma demanda que existe em relação à violência doméstica e os adolescentes infratores. É pequena. Recebemos denúncias mas, quando vamos investigar, muitas não procedem. A maioria é ocasionada pela própria família e muitos casos relacionados a questões financeiras. Denúncias de agressões são mais raras”, informa a agente de Polícia Civil Elizabeth Valgas Gonçalves.

Neste ano, conforme o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), até a última sexta-feira, foram instaurados nas delegacias catarinenses 1.470 inquéritos policiais (IPs), 439 autos de prisão em flagrante (APF), 150 apurações de ato infracional (AAI), 24 autos de apreensão de adolescente, 1.424 termos circunstanciados – totalizando 3.507 procedimentos de violência contra idosos.