O ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) Fabrício Queiroz foi preso nesta quinta-feira (18) em Atibaia, no interior de São Paulo, durante a Operação Anjo, realizada pela Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo e do Rio de Janeiro. Queiroz estava em um imóvel ligado ao advogado do senador e foi levado para a sede da Polícia Civil de São Paulo, no bairro da Luz.

De acordo com o Portal R7, os mandados foram expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro em investigação que apura esquema de “rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro quando ainda era deputado Estadual no Rio de Janeiro.

O Ministério Público do Rio de Janeiro apurou que servidores do gabinete de Flávio devolviam parte dos salários ao então Deputado Estadual.

Conforme o R7, a ação cumpre outras medidas cautelares autorizadas pela Justiça relacionadas ao inquérito. As medidas incluem busca e apreensão, afastamento da função pública, o comparecimento mensal em Juízo e a proibição de contato com testemunhas.

A investigação iniciou após o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificar movimentações bancárias atípicas no nome de Queiroz, a Promotoria apontou que o ex-parlamentar recebeu R$ 2 milhões por meio de 483 depósitos de dinheiro em espécie feitos por 13 assessores ligados ao gabinete de Flavio Bolsonaro.