O ex-companheiro de Patrícia Vicente, de 43 anos, encontrada morta no porta-malas de seu carro em um estacionamento de um supermercado, em São José, foi preso pela Polícia Civil na noite de ontem (13).

Ele estava foragido desde o dia do crime e hospedado há dois dias em um hotel no Centro de Florianópolis, sendo o principal suspeito pela morte. Segundo os investigadores, o homem usou nome falso para se hospedar.

O crime é tratado pela Polícia Civil como feminicídio e causou grande comoção social no Estado. Patrícia, de Palhoça, estava desaparecida desde a última sexta-feira (10). O corpo da vítima foi encontrado no sábado (11) no fim do dia.

Segundo familiares da vítima, ele não aceitava o fim do relacionamento e estava a ameaçando. O feminicídio é investigado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) e a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCami) da Polícia Civil de Palhoça. Os investigadores prosseguem nas investigações para apurar a causa da morte.

Patrícia tinha marcas de agressão em seu pescoço, provavelmente por estrangulamento, porém novos exames foram realizados pelo Instituto Geral de Perícias (IGP). Assim que o inquérito for concluído, será encaminhado ao Judiciário.

Patrícia deixou dois filhos, um de 3 e outro de 6 anos.

Foto: Polícia Civil/Divulgação Notisul

Entre em nosso grupo do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/Notisul