Tubarão

O caso do bebê estuprado de 1 ano e 11 meses chega a um momento crucial. O depoimento do acusado, o padrasto, de 35 anos, deve prestar o seu depoimento amanhã no fim da manhã ou início da tarde. A criança não resistiu aos ferimentos no ânus e intestino e morreu de infecção generalizada causada pelos ferimentos provocados pelo abuso sexual.

O depoimento da mãe da criança, 34, também está marcado para amanhã, às 9 horas. A delegacia deve ficar movimentada de curiosos e imprensa e deverá receber reforço policial para garantir o progresso do inquérito, coordenado pelo delegado Jair Tártari.

“O advogado do padrasto entrou em contato conosco e afirmou que apresentará o seu cliente para prestar depoimento sexta (amanhã). Já ouvimos alguns familiares da vítima e aguardo os laudos do exame cadavérico realizado logo após a sua morte para delinear melhor as investigações”, esclarece Tártari.

O caso tomou uma repercussão muito grande em Tubarão e região. O abuso teria sido descoberto na creche onde a vítima frequentava. Uma professora teria percebido machucados no ânus do bebê e comunicado a mãe, que pediu à direção do centro educacional para mudar o filho de sala, sem dar importância ao alerta da professora.
Os ferimentos pioraram e o bebê foi internado no Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. Não resistiu e morreu.