O duplo homicídio ocorreu no sábado no cruzamento do bairro Barbacena  -  Foto: André Luiz/Divulgação/Notisul
O duplo homicídio ocorreu no sábado no cruzamento do bairro Barbacena - Foto: André Luiz/Divulgação/Notisul

Laguna

As investigações sobre o duplo homicídio e a tentativa de assassinato ocorridos no último fim de semana, em Laguna, prosseguem com a fase de depoimentos. Até então, o resultado do que foi apurado não pode ser divulgado para não prejudicar o andamento das investigações. 

Porém, um fato é certo. O tráfico de drogas é o ‘pano de fundo’ desta violência. “A soberania do tráfico entre os bairros Casqueiro e Malvinas, na disputa por espaço e ‘clientes’, já matou muitas pessoas nos últimos três anos em função desta guerra”, declarou ontem o delegado responsável pela Divisão de Investigação Criminal (DIC), Rubem Thomé Filho. 

Quanto ao duplo homicídio, por enquanto nada a declarar, segundo Rubem. Já sobre a tentativa de assassinato, ontem ele ouviu o jovem que foi vítima de disparos e sua namorada. Ambos estavam em um abrigo de passageiros no domingo, mesmo dia em que ocorria o velório do casal baleado e morto. O rapaz de 18 anos foi ferido na perna, no ombro e nas costas e estava a 100 metros do local do velório. 

“Eles confirmaram algumas informações que já sabíamos para continuarmos em nossa linha de investigação”. 

O duplo homicídio e o envolvimento com a morte do guarda
  No último sábado, por volta das 17 horas, Jhonatan Miguel Ponciano, 20 anos, foi atingido por três tiros e morreu na hora. Com cinco meses de gestação, Jadna dos Passos de Jesus, 21, foi levada ao Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos e, devido à gravidade, transferida para o Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão.  Após uma neurocirurgia e uma cesárea de emergência, a jovem e o bebê não resistiram e morreram. Eles estavam em um Golf verde quando foram baleados na Estrada Geral de Barbacena.  Além do casal, estava no carro o padrasto da jovem e sua mãe. E foram cercados por um veículo de cor escura, de onde saíram os disparos. Não se sabe quanto ocupantes havia no automóvel.  Jhonatan, conhecido com Dorme Sujo, teve envolvimento na morte do guarda municipal de Tubarão, Marcelo Goulart da Silva, em 2011, em um assalto à Relojoaria e Ótica Orient, no beco do Simon, no centro.  Três homens e um adolescente ocupavam um Fiat usado para a fuga após o crime. Marcelo, na época com 33 anos, caminhava na calçada perto do local do assalto, quando foi baleado. Os criminosos foram presos em flagrante pouco tempo depois. O adolescente era Jhonatan. Todos receberam condenação, coincidentemente, no dia em que fez um ano da morte de Marcelo, em 10 de fevereiro de 2102. Eles receberam penas que variam entre 34 e quase 40 anos.