Conforme o guarda Juarez, as provocações do grupo adversário começaram com palavras de baixo calão no ambiente da festa  -  Foto:Silvana Lucas/Notisul
Conforme o guarda Juarez, as provocações do grupo adversário começaram com palavras de baixo calão no ambiente da festa - Foto:Silvana Lucas/Notisul

Tubarão

O guarda municipal de Capivari de Baixo, citado em uma matéria ontem como um dos envolvidos em uma briga na madrugada da última sexta-feira, em Tubarão, procurou o Notisul, se identificou e fez questão de contar sua versão dos fatos. Imagens suas em um vídeo circulam nas redes sociais, quando ele está em luta corporal com outras pessoas, inclusive com um jovem de 35 anos que foi espancado. 

Juarez Barreto Pereira Junior, 33 anos, que, além de atuar na área de segurança, também é comerciante, afirma que tomou a decisão de se manifestar porque é muito conhecido e a exposição ‘manchou’ sua integridade moral. “Quem me conhece, me identifica nas imagens. Por isso é minha obrigação dar uma satisfação à sociedade e aos que sabem de fato como sou”, esclarece Juarez. 

Conforme o guarda municipal, as provocações que resultaram em fortes agressões iniciaram em uma festa. Juarez e dois colegas, guardas municipais de Laguna, estavam no local. “Havia cerca de dez pessoas lá dentro que integram facções criminosas ligadas ao tráfico de drogas. Conheço quase todos, também por trabalhar como segurança em eventos na cidade, sei o que digo. ‘Seus guardas de m….’, ‘guardas de arma de plástico’ foram algumas frases ofensivas de baixo calão ditas pelo grupo”, revelou. 

A briga na rua 
Os ânimos ficaram alterados e os insultos resultaram em uma briga violenta na rua Lauro Müller. Juarez garante que o grupo adversário partiu para cima de seus colegas e um dos guardas dispersou. E admite que bateu em seis deles. “Neste momento, estávamos em dois contra dez. Quando vi que alguns pegaram uma barra de ferro e foram atrás do meu colega que havia saído, eram dois, então fui para defendê-lo. É neste instante em que apareço nas imagens golpeando um deles, o espancado como foi publicado, e depois fomos para o chão. 

A posição do comando da GM
“Atualmente acumulo as funções das secretarias de obras, segurança, trânsito e agricultura, em Capivari de Baixo. O senhor Jorge Luís Faustino, o Feijão, é diretor da GM, mas eu sou o maior responsável. Quanto à briga que ocorreu em Tubarão, soube pelas redes sociais e também porque um dos homens que aparece nas imagens é um guarda municipal nosso. Ele veio me contar o que ocorreu. Conversamos, mas oficialmente não recebi documento algum. Não foi registrado boletim de ocorrência, sendo assim, não tenho nada oficial por enquanto”, esclarece o secretário Carlos Alberto Bernhardt.   

O atendimento da ocorrência
O guarda municipal Juarez lembra que os homens agredidos por ele dispersaram, exceto o de 35 anos. Ele foi levado ao Hospital Nossa Senhora da Conceição pelo Corpo de Bombeiros, por volta das 4h48 e saiu da instituição às 7h30min. Conforme o guarda, quando a Polícia Militar chegou ao local, somente estavam o ferido e seus colegas de trabalho. Nenhum dos envolvidos na briga registrou boletim de ocorrência. Em buscas, a guarnição da Polícia Militar encontrou um revólver da marca Rossi, de calibre 22, com a numeração suprimida e uma munição do mesmo calibre intacta. Juarez disse que a arma encontrada é de um dos integrantes do grupo adversário.