Obras estão com 85% dos trabalhos concluídos, com prédio da administração, subestação, galeria base das celas e lixeira terminados. Vistoria foi realizada ontem,
Obras estão com 85% dos trabalhos concluídos, com prédio da administração, subestação, galeria base das celas e lixeira terminados. Vistoria foi realizada ontem,

Mirna Graciela
Tubarão

Há uma semana, apenas quatro funcionários trabalhavam na construção do novo Presídio Regional de Tubarão, no bairro Bom Pastor, conforme o Notisul divulgou semana passada, com exclusividade. Sob a alegação da falta da medição e, consequentemente, a ausência do repasse de verbas pela secretaria de segurança pública (SSP) desde o fim do ano passado, este era o quadro da obra, apresentado pela construtora Brighenti.

A promessa de que isto ocorreria ontem foi cumprida. Dois engenheiros da SSP realizaram a medição e a quantidade de operários que atuavam pela manhã chegou a 17. “Chamei de volta os 11 que havia dado férias e os quatro que tinha demitido. Semana que vem, mais cinco serão contratados”, informou Gregório Brighenti, proprietário da construtora.

O secretário de desenvolvimento regional, Haroldo Silva, o Dura, o juiz de execução penal Elleston Canali e a promotora de justiça Elizandra Sampaio Porto conferiram o andamento da obra, recepcionados pelo gerente da unidade prisional, Deiveison Querino Batista. “Não gostaria mais de apostar em data, mas acredito que no final de maio estará concluído. Também não vamos inaugurar para descerrar placa. Somente quando a estrutura humana estiver viabilizada, com os agentes, administração e policiais”, explica o secretário.

A obra deveria ter sido entregue em dezembro passado. No entanto, o proprietário da empresa pediu mais seis meses em função das chuvas de 2010. Que ocorra um empenho e o prazo seja concluído, não há mais como prorrogar. Gostei do que vi, houve uma evolução da última vez que estive aqui”, avaliou o juiz Elleston.

Entenda o processo

Semana passada, no dia 22, a redação do Notisul constatou somente quatro empregados nas frentes de trabalho. Sem o repasse de verbas da secretaria de segurança pública (SSP) desde dezembro último, o proprietário da empresa contratada para a execução, Gregório Brighenti, havia demitido e concedido férias para grande parte do grupo. Ele disse que tomou a decisão porque não suportaria as despesas. “Se mantenho o pessoal, tenho que comprar material e não há condições para isto”, justificou o proprietário.

Após contato com o engenheiro Dirceu Antonio Oldra, gerente de obras da diretoria de planejamento da SSP, foi explicado que o atraso é normal, que a ‘máquina’ fecha no fim do ano e retorna à normalidade neste período, e garantiu que a medição, procedimento necessário para o envio de recursos, seria feita esta semana, ontem. E foi o que ocorreu. Desta forma, a recontratação dos operários foi imediata pela construtora e, com isto, o ritmo dos trabalhos volta ao normal.

As obras do novo presídio estão com 85% dos trabalhos concluídos, com prédio da administração, subestação, galeria base das celas e lixeira terminados. Em fase final, a galeria de controle, a cozinha e o refeitório. Em andamento, a urbanização, o alambrado externo, o alojamento da Polícia Militar, o reservatório de água, os solários (espaço ao ar livre para os presos) e a central de gás. O alambrado de visitas ainda não foi iniciado.

Semiaberto aguarda detentos

A ala do regime semiaberto do novo Presídio Regional de Tubarão é ocupada por 36 detentos. A capacidade é para 120. O gerente da unidade prisional, Deiveison Querino Batista, esclarece que, para a transferência dos demais do atual presídio, faltam dois policiais militares para fazer a vigilância.

O tenente-coronel Ângelo Bertoncini, comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar de Tubarão, justifica que hoje não há efetivo. “Estamos aguardando para agosto, quando está prevista a vinda de 34 policiais para Tubarão. Teremos também o aeroporto e o centro integrado de emergência. Daí o comando regional vai definir a distribuição para suprir estas necessidades”, informa.