O Golpe da Lista Telefônica teve um aumento considerável de reclamações junto ao Procon em Tubarão, pois continua vitimando os empresários. Por isso, o órgão municipal faz um alerta, e presta orientações para evitar o golpe e as medidas a serem adotadas caso a pessoa tenha sido lesada.

O golpe funciona da seguinte forma. O funcionário da empresa recebe uma ligação telefônica, no outro lado da linha uma pessoa se identifica como um representante de agências de publicidade ou editoras de listas telefônicas. Ele alega que a ligação é para a confirmação de dados e que não haverá custo para atualizar as informações da companhia.

Os golpistas informam que será enviado um documento via e-mail, o qual deverá ser prontamente preenchido sob ameaça de negativação do nome da empresa, sendo que o próprio funcionário pode autorizar, ou é induzido a se passar pelo gerente da empresa e assinar o documento.

Deste modo, o funcionário acaba assinando o contrato sem ler as cláusulas. Aí é que começa o tormento. Os golpistas passam a encaminhar boletos de cobrança, ameaças de protesto, inscrição nos órgãos de proteção ao crédito, sem mencionar que se passam por funcionários de escritório de advocacia ou tabeliães de cartórios.

Não bastasse isso, para realizar o cancelamento do contrato, o empresário é informado que haverá uma multa rescisória.

Existe uma certa dificuldade do Procon em localizar os golpistas, pois quando o empresário procura a unidade municipal os golpistas já fizeram a alteração de CNPJ e o número de telefone informado cai em escritório de contabilidade.

Os cuidados e os procedimentos
Quando isto ocorre, o Procon abre um processo administrativo contra os golpistas, mas os endereços também já estão alterados, o que dificulta a entrega e o andamento do processo.

“É necessário que os lojistas fiquem atentos e previnam seus funcionários para não assinarem nenhum contrato e não fornecer os dados da empresa via telefone sem antes se certificar sobre o que estão contratando e com quem estão contratando”, orienta a coordenadora do Procon de Tubarão Andresa Fontanela.

Conforme Andresa, também deve haver um cuidado redobrado nas cláusulas que estão escritas com a letra menor do que das demais e contratos que possuem espaços em branco, o que possibilita o preenchimento posterior.

Mas, caso forem vítimas do golpe, não devem efetuar o pagamento dos boletos, pois não houve prestação ou contratação de serviço, tratando-se de um estelionato.

Portanto, a recomendação é que procurem imediatamente uma delegacia de Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência.

Em caso de dúvidas ou mais esclarecimentos, os consumidores podem entrar em contato com o Procon de Tubarão por meio do telefone (48) 3621-9818 ou pelo e-mail procon@tubarao.sc.gov.br.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul