Após análise das estatísticas criminais do ano de 2020, a Polícia Civil aponta uma redução de 1069 casos de roubos e furtos de veículos em comparação a 2019, em Santa Catarina. O dado é da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC) e equivale ao menor índice dos últimos seis anos.

Os números apresentados apontaram uma significativa redução dos casos de roubos e furtos de veículos no comparativo com os anos anteriores. Analisando as ocorrências e comparando com o ano de 2019, destaque no tocante à redução dos casos de roubo – onde há violência ou grave ameaça contra a vítima, que teve uma redução de 669 casos.

Os números vêm caindo ao longo dos anos em território catarinense. Como exemplo disso, ressalta-se que no ano de 2016 houve um pico do número de casos que chegou à marca de 18724 veículos subtraídos. Já em 2020, os números regrediram para 9079 casos, menos da metade. Os registros estatísticos têm como base as informações geradas através do sistema de confecção de Boletins de Ocorrência e inserção das restrições de roubos e furtos, o qual é monitorado permanentemente pela delegacia especializada.

 

“Integração”

A redução dos índices é resultado do trabalho integrado dos órgãos que compõem o Sistema de Segurança Pública do Estado de Santa Catarina, tais como a Polícia Civil, Polícia Militar, Guardas Municipais e Polícia Rodoviária Federal.

Dentre as ações desenvolvidas no ano que contribuíram para a redução da incidência criminal no segmento, destaque para as ações da Polícia Civil no combate aos receptadores, com desarticulação de esquemas criminosos e interdição de estabelecimentos destinados ao comércio ilegal de autopeças usadas.

De acordo com o Delegado Rodrigo Bortolini, titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos da DEIC/PCSC há oito anos, após alguns anos de trabalhos com ênfase no combate à adulteração e clonagem de veículos – que tiveram significativa redução no estado, agora as forças policiais se voltam para o enfrentamento à receptação e ao comércio clandestino de autopeças, como forma de banir esta prática que fomenta os crimes anteriores – o furto e o roubo, e buscar índices ainda melhores para 2021.

ANO ROUBOS FURTOS FURTOS + ROUBOS RECUPERAÇÕES
2015 3738 14450 18188 11616
2016 4001 14723 18724 12053
2017 3714 12345 16059 10589
2018 2597 9776 12373 8257
2019 2102 8046 10148 6920
2020 1433 7646 9079 5617

 

Orientações contra furto e roubo de veículos:

– Possuir dispositivos anti-furto e rastreadores instalados no veículo;

– Ter vidros com películas a fim de evitar que possíveis criminosos visualizem as pessoas no interior do carro (importante para mulheres e idosos, em especial que andam sozinhos);

– Evitar parar em semáforos à noite ou madrugada, e se tiver de fazê-lo ter muita atenção a movimentos suspeitos nos arredores;

– Estacionar preferencialmente em locais movimentados e iluminados, ou em estacionamentos privados quando possível;

– Procurar transitar por rotas mais seguras, iluminadas e movimentadas;

– Possuir seguro total;

– Evitar ficar parado dentro do carro, principalmente no período noturno e em locais de menor movimento;

– Prestar muita atenção a movimentos suspeitos quando chegar em casa e for colocar o carro na garagem;

– Quando for anunciar a venda ou mesmo tiver interesse em comprar um carro pela internet, tomar todas as cautelas possíveis antes de concretizar a negociação para não se tornar vítima de golpistas;

– Não adquirir autopeças de procedência duvidosa; Embora não seja um crime praticado com violência, a receptação fomenta diversas atividades criminosas, como assaltos e latrocínios. Receptar produtos de origem ilegal, especialmente veículos ou mesmo suas peças, é uma grande forma de colaborar com o aumento da violência.

 

Fonte: PCSC

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul