Paulinho Sachetti
Imbituba

A suspeita de que uma adolescente de 14 anos, surda, muda e com problemas mentais teria sido estuprada na noite do dia 12, na Praia da Porto, em Imbituba, por um soldado militar, foi confirmada pelo major Paulo Henrique da 3ª Companhia do 63º Batalhão de Infantaria do Exército Tubarão, (3ª Cia/63º BI).

O suspeito de 19 anos está detido no 10º Batalhão de Engenharia de Construção de Lages, onde é lotado.
O major disse que a corporacão de Lages trabalha com construção de estradas e presta outros tipos de serviços. O soldado trabalhava em uma obra no porto de Imbituba. “Estamos apurando os fatos e medidas drásticas serão tomadas caso o crime seja confirmado. Ele sofrerá punições graves e corre o risco de ser expulso”, adiantou o major.

O soldado, além de responder na justiça cível, também terá de enfrentar a uma sindicância administrativa internamente. “Queremos deixar claro para a sociedade que nós faremos tudo de forma transparente para que não haja nenhum equívoco. Não cometeremos injustiça com ninguém, mas também não poderemos tolerar um ato como este, caso seja realmente confirmado pelas investigações”, adiantou.

O caso abalou toda a cidade e ganhou repercussão em nível estadual e nacional.

Como ocorreu
A menina teria sido seduzida por dois rapazes: um de 19 anos e outro de 24. Ela teria sido levada para a praia, onde foi estuprada por ambos. Os dois suspeitos foram presos num bar, onde ingeriam bebidas alcoólicas. As informações são da Polícia Militar.

Através da mãe da menina, os policiais conseguiram chegar até os bandidos. O ato covarde indignou a população e os dois acusados, por pouco, não foram linchados ao chegarem na delegacia de Imbituba, onde foi lavrado o flagrante.