Imbituba

Uma mulher protagonizou cenas de muita violência e tensão ao entrar em conflito com a madrasta e com policiais militares, e foi presa pelos crimes de violência doméstica, agressão, ameaça, desobediência, resistência e desacato na tarde desta quarta-feira (11), em uma residência do Bairro Nova Brasília, em Imbituba. 

A PM foi acionada por volta das 15h30, para atender uma ocorrência de violência doméstica, por agressão e ameaça, na Rua do Ginásio da Limpa. Chegando ao local, uma mulher relatou que teria sido agredida pela filha de seu companheiro, uma adolescente de 14 anos, que reside na mesma casa, mas que já não se encontrava mais na residência. Segundo a vítima, seu companheiro presenciou tudo, mas também deixou o imóvel junto à filha assim que a polícia foi acionada. 

Os policiais conversavam com a vítima, quando outra enteada, chegou, já extremamente desorientada e gritando com os agentes e contra a vítima por ela ter acionado a PM. Na sequência, esta irmã da adolescente saiu da residência jogando sacolas de roupa e pertences pessoais da madrasta na rua. Segundo a PM, neste momento foi tentado conversar com a jovem e ela provocou os policiais, falando que ali ninguém entrava e que dali ninguém a tiraria. 

A todo o momento a mulher tentou impedir que os policiais resguardassem a integridade física e psicológica da madrasta, além de desobedecer ordens para identificar-se e parar de despejar os pertences, continuando a ameaçar a integridade física e psicológica da companheira do pai, dizendo que se ela não ‘saísse da residência de sua família’ iria atentar contra a vida dela em outro momento. 

Ao ser informada que seria detida, a mulher resistiu, tentando evitar ser tocada para ser algemada. Com isso, foi necessário o uso da força física para controlá-la, com os PMs utilizando imobilização e algemas para proteger a integridade física de todos envolvidos. Já na viatura, durante condução, a agressora ainda conseguiu se soltar de um dos lados da algema e desferiu um soco no rosto da madrasta, sendo necessário novamente ser contida e algemada.

Segundo relato dos policiais, a todo momento a agressora xingava os PMs e ameaçava a vitima dizendo que iria “mata-la hoje à noite, depois de ser solta” e que “processaria os policias pelo fato de conduzi-la à Delegacia, e continuou a fazer força para tentar fugir das algemas, inclusive na delegacia, na presença de policias civis.