Gilmar tinha 22 (D) anos e era agricultor, como o pai. Lucimar tinha 31 anos e também ajudava na lavoura.
Gilmar tinha 22 (D) anos e era agricultor, como o pai. Lucimar tinha 31 anos e também ajudava na lavoura.

Rafael Andrade
Rio Fortuna

Os pouco mais de 4,5 mil moradores de Rio Fortuna estão chocados. Os irmãos Gilmar Kemper Boing, 22 anos, e Lucimar Boing, 31, foram assassinados por um vizinho de 49, ontem de manhã, por volta das 7h30min, na comunidade de Capoeirão. Foi o 28º homicídio na região este ano.

O duplo homicídio teria sido motivado por um cachorro dos irmãos, que teria atacado o vizinho. Os ânimos dos envolvidos já estavam alterados há algumas semanas, após denúncias feitas à Fundação do Meio Ambiente (Fatma) e ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), a respeito de extração irregular de lenha nas propriedades dos irmãos e do homicida.

Segundo testemunhas, a discussão iniciou entre o acusado e o agricultor Ludgero Boing, pai dos irmãos. Avisados da confusão, Gilmar e Lucimar interferiram e, após serem avistados pelo vizinho, foram baleados. Eles não resistiram aos ferimentos e morreram no local do crime.
Antes de morrer, Lucimar ainda conseguiu atirar no rosto do assassino, que disparou contra Ludgero no braço esquerdo.

Mesmo ferido, o acusado fugiu e procurou atendimento médico no Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte. Ludgero e os filhos foram levados ao Hospital Municipal de Rio Fortuna por amigos que presenciaram o tiroteio. O pai foi medicado e liberado. O enterro dos seus filhos será hoje, no Cemitério Municipal da pacata cidade, que não registrava um homicídio há mais de 15 anos.
Um irmão do acusado, de 42 anos, ao saber da confusão, pegou uma arma e foi ao local, e acabou preso por policiais que estavam atrás do vizinho atirador.

Preso e operado
O assassino foi preso em Braço do Norte, ainda no hospital, mas precisou ser operado no Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão. Ele deverá receber alta na próxima semana. Se condenado, poderá pegar até 30 anos de prisão em regime fechado. O seu irmão foi preso por porte de armas e munições.

Investigações
O delegado José Leonardo Valente, de Braço do Norte, instaurou inquérito para apurar todos os detalhes do duplo homicídio registrado ontem de manhã, em Rio Fortuna. As supostas denúncias de exploração irregular de lenha também serão investigadas. Um revólver calibre 32 utilizado pelo autor dos assassinatos foi apreendido. Uma espingarda calibre 36, que estava ao lado do corpo de Lucimar, também foi recolhida.