Wagner da Silva e
Maycon Vianna

Braço do Norte

O domingo iniciou trágico no Vale de Braço do Norte. A população dos municípios de Braço do Norte e Santa Rosa de Lima ficou assustada com tanta tragédia em menos de cinco horas. As policias Civil e Militar tiveram muito trabalho. O primeiro crime ocorreu na rua Ângelo Sandrini, no bairro Rio Bonito, em Braço do Norte, por volta de 0h40min.

Segundo informações da polícia, após uma ríspida discussão por causa de uma dívida não paga, um homem de 33 anos efetuou nove disparos contra José Maria de Jesus, 29 anos, e depois fugiu. Cerca de cinco minutos após o crime, os policiais chegaram ao local, e a vítima já havia sido conduzida por um veículo particular até o Hospital Santa Teresinha, onde chegou já sem os sinais vitais. Os populares informaram a polícia sobre o modelo e a placa do veículo (um Gol) pelo qual o autor dos disparos conduzia.

Vários policiais foram mobilizados em buscas pelo assassino pela região, até chegarem à casa do autor. O criminoso estava na janela de casa e não ofereceu resistência à voz de prisão. O acusado ainda mostrou aos policiais o local onde a arma utilizada no homicídio, uma Beretta calibre 32, estava escondida. O homem foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Braço do Norte, onde foi lavrado o flagrante. Ele foi interrogado pelo delegado de plantão e permanece detido em uma cela da delegacia à espera de autorização para ser encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão, o que deve ocorrer na manhã de hoje.

Homem assassina a esposa e, em seguida, comete suicídio
A pequena cidade de Santa Rosa de Lima, pacata e acolhedora, virou um cenário de terror em menos de um mês. Após a morte do servente de pedreiro Edélcio Carlos Porath, de 35 anos, no dia 29 de outubro, um outro homicídio seguido por suicídio chocou a população.

Por volta das 4h30min de ontem, um crime ocorreu na comunidade de Mata Verde, interior de Santa Rosa de Lima. Segundo relato dos policiais, após matar a esposa, a doméstica Sonia Oenning Michels, de 42 anos, com um tiro de espingarda calibre 32 (geralmente utilizada para caça de animais silvestres), Salésio Michels, 48, telefonou a um amigo, relatou o crime que havia cometido e tirou a própria vida ainda durante a conversa por telefone.
Os corpos do casal foram encaminhados para a perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Tubarão. O casal tinha um filho, de 23 anos.

Caso Edélcio
Antes da morte de Edélcio Carlos Porath, o último assassinato no município havia sido em 1962. O pedreiro, natural de Trombudo Central, oeste de Santa Catarina, revoltou a população.

Ele estava desaparecido desde a noite de 29 de outubro, quando foi visto pela última vez por amigos em um bar.
O homem trabalhava em uma das obras da Pequena Central Hidrelétrica (PCH), em fase de construção na cidade. O homem morava com mais seis pessoas em um alojamento. Edélcio não dormiu em casa e, com o seu desaparecimento, o encarregado da obra foi informado.

O corpo foi encontrado às margens do rio que corta o município, por volta das 18 horas do dia seguinte, pelos próprios colegas de trabalho.
Edélcio estava com uma marca na cabeça e o seu corpo parecia ter sido arrastado. O comissário da Polícia Civil Carlos Tadeu Phillippi informou o fato à perícia e testemunhas prestaram depoimento na delegacia de Polícia Civil.
No início da semana passada, o assassino do pedreiro, um colega de trabalho e de alojamento, foi preso pelos investigadores e foi encaminhado à Central de Polícia Civil, onde permanece.

O mais recente crime
• Salésio Michels assassinou a esposa Sônia Oening com um tiro de espingarda no peito e depois se matou com um disparo no ouvido.
• O homicídio seguido por suicídio pode ter sido motivado pelas dificuldades financeiras enfrentadas por Salésio e Sônia.
• O velório do casal ocorreu na residência, local do crime. Eles serão sepultados hoje no cemitério de Santa Rosa de Lima.
• Antes dos últimos dois casos, Santa Rosa de Lima só havia registrado um assassinato em 2 de novembro de 1962, quando Fredolino Wimes foi morto a facadas por Irineu da Silva.