Pedras Grandes

Dois acusados pelo sumiço de dinheiro de contas-poupança da agência do Besc (hoje Banco do Brasil) de Pedras Grandes, no início de 2009, receberam sentença. Um deles é o ex-gerente e a outra pessoa é sua esposa.
Ele foi condenado a dez anos e três meses de prisão e poderá recorrer em liberdade. No entanto, terá que devolver à instituição bancária R$ 782.066,29. A mulher recebeu uma sentença de quatro anos de prisão, que será substituída por serviços sociais e prestação pecuniária de R$ 8 mil.

Ficou estabelecido que os bens dos réus permanecem apreendidos, como uma caminhonete Hiluz 2008, uma motocicleta Hornet 2005, um Corsa 2006 e R$ 60 mil. Também são acusados de envolvimento no crime uma cunhada do ex-gerente, que foi absolvida, e outro funcionário do banco, que será julgado separadamente.

O caso ocorreu em março de 2009, quando muitos clientes do Besc perceberam a falta de dinheiro em suas contas-poupança. Aos poucos, os casos foram aparecendo, até ganhar proporções assustadoras. Um grande produtor de fumo da região perdeu os R$ 400 mil que estavam guardados na caderneta de poupança.
Os prejuízos atingiram grandes e pequenos investidores. Os ex-gerentes chegaram, na época, a ser presos, em uma operação realizada pela Polícia Civil. No entanto, ficaram alguns dias detidos no Presídio Regional de Tubarão e foram liberados.