O motorista de um táxi registrou um boletim de ocorrência no dia 19 de julho último sobre um suposto roubo ocorrido após um serviço de transporte de passageiros. Segundo o motorista, de 26 anos, dois homens tinham lhe ameaçado com uma arma de fogo e exigido R$ 200 em dinheiro.

O motorista registrou a ocorrência e uma investigação foi iniciada pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Tubarão para apurar o suposto crime patrimonial cometido mediante ameaça. Um dos supostos autores chegou a ser identificado e a “vítima” o reconheceu como sendo um dos responsáveis pelo crime.

Porém, hoje (6), após diligências e antes que o investigado fosse encaminhado ao presídio, depois de ser indagado sobre as contradições em sua versão, o motorista voltou atrás e confessou ter forjado o suposto roubo para justificar que o cliente não possuía dinheiro para pagar a corrida e, com isso, atenuar sua situação perante o proprietário do táxi que alugava para trabalhar neste ramo de atividade.

Diante dessa constatação e da farsa montada, o motorista foi indiciado pelos crimes de falsa comunicação de crime e denunciação caluniosa. A Polícia Civil orienta a população que não simule crimes com o objetivo de resolver desacordos comerciais ou pessoais, sob pena de arcarem com as consequências criminais por seus atos.