Mirna Graciela
Laguna
 
Dez pessoas foram ouvidas ontem, no fórum de Laguna, durante a segunda audiência de instrução e julgamento do assassinato do policial civil José Maria Mendonça, o Zico (foto), 46 anos. Ele foi morto em janeiro deste ano, no Km 37, na Cidade de Anita. 
 
Oito testemunhas de defesa da acusada, a viúva de Zico, prestaram depoimento, bem como duas de acusação. A perspectiva é de que o processo esteja concluído até o fim do ano, já que a nova e última audiência está marcada para o dia 23 do próximo mês. Nesta sessão, serão ouvidos o policial civil encarregado da investigação, Rafael de Oliveira Guedes, e a acusada. 
 
Após o término das declarações das partes, o processo vai para a promotoria pública e, depois, para o defensor (alegações finais). Daí sim o juiz irá proferir a sentença com a definição se o processo vai a júri popular. 
Ontem, os trabalhos tiveram duração de uma hora e meia e foram presididos pelo juiz Renato Muller Bratti, com a participação das testemunhas e da acusada, que não se manifestou. 
 
Zico foi morto no dia 8 de janeiro, com dois tiros na cabeça, em sua casa, no Km 37, em Laguna, com um revólver calibre 32. O crime ocorreu entre 16h30min e 19h30min, segundo apontaram os exames periciais. O corpo foi encontrado pelo seu cunhado, no dia seguinte, às 8h20min.
 
No dia 15 do mesmo mês, o corpo foi exumado para se obter mais indícios, a exemplo da perícia e da realização da reprodução simulada.