Cerca de 1,5 toneladas de fios de cobre e alumínio foram furtada em Criciúma desde o início do ano até esta sexta-feira (10). Os números são das Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A, a Celesc, sem levar em consideração o furto de disjuntores, que até então foram 15.

Diariamente ocorrências de furto de fios são registradas pela Polícia Militar (PM) de Criciúma, mas uma em especial nesta semana ligou um alerta quanto as consequências desses furtos. Isso porque no incêndio que atingiu e destruiu parte da Escola Municipal Padre Ludovico Coccolo, no bairro São Luiz, na última quarta-feira (8), as suspeitas são de que ele teria sido ocasionado por um furto de fios, realizado por uma dupla, que resultou em um curto-circuito e por fim, no incêndio.

Em 2021 foram aproximadamente 300 chamadas de ocorrências de furtos nas redes que ligam o poste de energia a unidade consumidora, sejam elas residências, indústrias, escolas, postos de saúde e afins. “As consequências dos furtos de equipamentos da rede elétrica envolvem risco de choque elétrico, perda de material e danos à rede, prejuízo financeiro e transtorno para a população com a interrupção do fornecimento de energia”, afirmou a Celesc em nota.

De acordo com o levantamento da Celesc, os bairros que mais sofrem com os furtos são Pinheirinho, Santo Antônio, Milanese e Santa Augusta. Para a PM de Criciúma, o furto de fios está atrelado ao tráfico de drogas, já que é com o furto seguido da comercialização dos fios, que os usuários conseguem dinheiro para comprar as drogas.

“Estamos nos bairros realizando um mapeamento para tentar coibir esse tipo de delito. Acompanhamos as rondas penais, os egressos do sistema prisional, assim como os presos que saem em liberdade provisória, para que possamos evitar a reincidência desse tipo de crime”, explica o comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Criciúma, tenente-coronel Sandi Sartor.

Visando reforçar a prevenção e reprimir crimes de furto de fios e receptação, foi deflagrada a “Operação Rede Elétrica” da PM de Criciúma. A ação vem sendo realizada diariamente, principalmente com vistorias em estabelecimentos comerciais que compram e vendem sucata, ferro velho e alumínio.

No mesmo dia do incêndio na escola, uma ação recuperou 20 quilos de fios de cobre furtados da rede elétrica da Celesc, em Criciúma. O material foi encontrado em dois estabelecimentos no bairro Renascer. Duas pessoas foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia Civil. “Buscamos identificar e prender receptadores, como aconteceu essa semanas. No mês passado tivemos mais 40 kg de fios recuperados com receptadores em uma operação. Três pessoas foram conduzidas”, ressalta o comandante.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Litoral Sul