Rafael Andrade
Tubarão

O estupro ocorreu há quatro anos, conforme a acusação, mas Dilnei de Sá Corrêa, 53 anos, pagará pelo crime só agora. O Tribunal de Justiça (TJ) de Santa Catarina decidiu puni-lo a mais de nove anos de reclusão em regime fechado. Ele teria abusado de uma menina de 9 anos, hoje com 13.

O apenado já havia sido julgado em 2006, no fórum de Tubarão, mas foi absolvido. A promotoria recorreu e conseguiu reverter a decisão da primeira instância.
Com o mandado condenatório de prisão, os policiais do setor de investigação da Central de Polícia de Tubarão, coordenados pelo delegado Cézar Augusto Cardoso Reynaud, prenderam Dilnei, que apresentava sinal de embriaguez. Ele era considerado foragido desde a decisão do TJ, semana passada. “Ele estava em casa, no bairro Bom Pastor, em Tubarão, e não reagiu”, lembra um policial.

Dilnei foi encaminhado à Central, onde foram efetuados os procedimentos administrativos, e depois levado ao Presídio Regional de Tubarão. A defesa ainda pode recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Até lá, passará um bom tempo atrás das grades.