#PraCegoVer Na foto, uma viatura policial
- Foto ilustrativa

Nem bem abriu as portas, o Centro Estadual de Apoio Operacional de Combate aos Crimes Contra o Agronegócio da Polícia Civil de Santa Catarina (CAOAGRO/PCSC) conseguiu realizar o primeiro mapa de criminalidade contra o agronegócio. Os números são referentes ao mês de março. No período, foram realizados 32 Boletins de Ocorrências (BOs) em todo o Estado. As regiões mais visadas pelos bandidos são a de Tubarão, no Sul catarinense, com 21% dos BOs feitos, e Xanxerê, no Oeste, também com 21% dos registros totais. As ocorrência ocorreram nas cidades de de Itá, São Joaquim, Vargeão, Gravatal, Santa Cecília, Xanxerê, Faxinal dos Guedes, Armazém, Xavantina, Lebon Régis, Videira, Sul Brasil e Itajaí.

– Fonte: Centro Estadual de Apoio Operacional de Combate aos Crimes Contra o Agronegócio da Polícia Civil de Santa Catarina (CAOAGRO/PCSC)

De acordo com a CAOAGRO/PCSC, a maioria dos BOs trata de crimes contra o patrimônio, notadamente furtos de animais em propriedades rurais. Para o coordenador do CAOAGRO/PCSC, delegado de polícia Fernando Callfass, as estatísticas iniciais apontam para a formação de um mapa de criminalidade estadual, assim como fortalecem a necessidade do CAOAGRO/PCSC como instrumento específico de combate aos crimes contra o agronegócio em Santa Catarina. Os policiais civis do CAOAGRO/PCSC participaram de cinco operações policiais, em que oito pessoas foram presas.

Outro ponto de destaque: estes primeiros registros ajudam a Polícia Civil a formular operações para efetivamente combater este tipo de crime, identificar os responsáveis e leva-los para responder perante a Justiça. “O mapeamento desse tipo de incidência criminal normalmente trata de crimes complexos. A Polícia Civil atua também de forma conjunta e integrada com várias instituições e órgãos estaduais para dar a resposta que a sociedade procura e merece”, valoriza o delegado-geral da Polícia Civil em Santa Catarina, Marcos Flávio Ghizoni Júnior.

Informações: Polícia Civil de Santa Catarina
Texto: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul