#Pracegover Na foto, homem em frente a um notebook
Foto: Banco de imagens FreePik

A Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) de Brasília/DF, com o apoio do Instituto Criminalística, deflagrou Operação Deep Nude para dar cumprimento a mandado de busca e apreensão contra um suspeito de efetuar montagens digitais de mulheres, simulando cenas de nudez, uma das vítimas era moradora de Imbituba.

O suspeito é morador da cidade satélite Riacho Fundo 1, onde foram apreendidos computador e celulares, os quais ainda serão periciados.

Em março deste ano, a morada de Imbituba registrou um boletim de ocorrência informando que um perfil “fake” passou a encaminhar mensagens para as suas redes sociais, com ofensas e ameaças.

De acordo com a vítima, o suspeito teria se apropriado de suas fotos e feito montagens, simulando cenas de pedofilia e, se não bastasse, ainda encaminhou as fotomontagens para conhecidos da vítima.

Logo após o registro da ocorrência, o setor de investigação da Delegacia de Polícia de Imbituba realizou uma série de diligências investigativas e identificou o suspeito. Foi confirmado também que ele a vítima sequer se conheciam e a mulher foi escolhida aleatoriamente.

O Delegado de Polícia de Imbituba representou pela concessão de mandado de busca e apreensão, o que foi deferido pelo Poder Judiciário de Imbituba após manifestação favorável do Ministério Público de Santa Catarina. Em seguida, o mandado foi encaminhado para cumprimento pela Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) de Brasília/DF, sendo devidamente cumprido nesta quinta-feira (22), com o apoio do Instituto de Criminalística.

De acordo com o delegado de Imbituba, Juliano Baesso, que preside as investigações,a caso se trata de um verdadeiro crime de ódio praticado pela internet. Até o momento ninguém foi preso.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul