A autoria e a motivação de um crime brutal registrado na noite de terça-feira (28), no bairro Próspera, em Criciúma, está sob a responsabilidade da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma. O corpo de José Manoel Estevam, 52 anos, foi encontrado com o pescoço e as mãos amarrados por uma corda dentro da geladeira de casa.

O aparelho estava ligado, alguns acessórios foram retirados, como as prateleiras, para colocar o cadáver. Para o delegado André Milanese, responsável pelas investigações, o local foi escolhido para ocultar, ou mesmo postergar a localização do corpo, e consequentemente retardar a investigação.

A Polícia Militar foi acionada no fim da noite de terça-feira, a princípio para uma ocorrência de suicídio, sendo constatado posteriormente que se tratava de um assassinato com requintes de crueldade. Pelo estado do corpo, o crime teria ocorrido na madrugada ou na manhã de segunda-feira.

A ex-esposa da vítima relatou aos policiais que recebeu uma mensagem de áudio no celular de um conhecido que indagava se ela tinha conhecimento de que José Manoel estava morto, indo até a casa dele verificar. Quando a mulher chegou à residência, encontrou com o sobrinho. Ambos perceberam que a porta da casa estava aberta, porém o portão estava fechado.

O rapaz pulou a cerca, entrou e, após procurá-lo, acabou encontrando o homem morto dentro do eletrodoméstico. “Tranquilo, não incomodava ninguém e trabalhava cuidando de alguns pontos de comércio da localidade. O próximo passo é ouvir as pessoas próximas a ele”, afirma o delegado.

Apesar de não ter marcas de sangue pela casa, Milanese acredita que o crime possa ter ocorrido no imóvel, sendo o corpo colocado, sentado e estrangulado, na geladeira.

Fonte: Portal Clic A Tribuna

Publicada às 9h36min desta sexta-feira (31/03/17)