O policial civil José Maria Mendonça, 46 anos, foi morto no último sábado, com dois tiros na cabeça, em sua residência, no Km 37, em Laguna, com um revólver calibre 32. O corpo foi encontrado pelo cunhado de Zico, no dia seguinte ao crime, às 8h20min.
O policial civil José Maria Mendonça, 46 anos, foi morto no último sábado, com dois tiros na cabeça, em sua residência, no Km 37, em Laguna, com um revólver calibre 32. O corpo foi encontrado pelo cunhado de Zico, no dia seguinte ao crime, às 8h20min.

 

Mirna Graciela
Tubarão
 
Uma reunião nesta sexta-feira entre delegados da Polícia Civil e Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) definiu os próximos passos da investigação do assassinato policial civil José Maria Mendonça, o Zico, 46 anos, morto no último sábado. Segundo o delegado do Centro de Operações da Polícia (COP) de Laguna, Rubem Thomé, o corpo de Zico será exumado neste sábado, às 8 horas. “Precisamos saber a hora precisa do crime e o tipo de alimentação ingerida naquele dia. Esses dados são muito importantes para nossas investigações”, revela. 
 
Quanto ao sangue da vítima encaminhado para  análise em São Paulo, não apresentou traços ansiolíticos (presença de substância sedativa). “Continuamos com duas linhas muito fortes de investigação: latrocínio e homicídio simples”, enfatiza. 
 
A reunião contou com a participação de Renato Hendges, da Deic, da Divisão Anti-sequestro de Florianópolis, e dos delegados da Polícia Civil de Laguna, Manuel Silveira Teixeira e César Augusto Reynold, e do delegado regional em Tubarão, Renato Poeta.