O delegado Rubem Thomé coordena as investigações do assassinato de Zico, morto no último sábado
O delegado Rubem Thomé coordena as investigações do assassinato de Zico, morto no último sábado

 

Mirna Graciela
Laguna
 
Está confirmado. O resultado do teste de balística comprovou que o revólver calibre 32 encontrado na Lagoa Santo Antônio dos Anjos, atrás do Mercado Público, em Laguna, foi o mesmo utilizado no assassinato do policial civil José Maria Mendonça. Os dois projéteis retirados do corpo da vítima são da arma, que era usada pela vítima. 
 
Já o laudo cadavérico atestou que a morte de Zico ocorreu entre 11 e 17 horas do último sábado. O delegado do Centro de Operações da Polícia (COP) de Laguna, Rubem Thomé, afirmou que os trabalhos estão com força total. Doze policiais trabalham no caso, quatro  deles delegados. “Quarenta e seis pessoas foram ouvidas até agora, algumas mais de uma vez”, relata o delegado Rubem. 
 
O Instituto de Perícias de Florianópolis certificou a ausência de vestígios de algum tipo de droga ilícita no sangue da vítima, que foi encaminhado para São Paulo com o objetivo de detectar se existem traços ansiolíticos (presença de substância tóxica que o levasse a um adormecimento profundo).
 
Uma reunião será realizada hoje, às 14h30min, com a presença do delegado Renato Hendges, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Divisão de Anti-sequestro de Florianópolis, e dos delegados de Tubarão, Capivari de Baixo e Laguna. “Esse encontro será muito importante, pois dele teremos a definição dos próximos rumos a serem tomados. Praticamente todas as pessoas já foram ouvidas e os resultados apurados, inclusive a análise das listagens telefônicas do celular e do telefone residencial de Zico. Agora só faltam os laudos da reprodução simulada (trajeto de um dos suspeitos) e da mostra de sangue enviado para São Paulo”, finaliza.  
 
Como foi o crime
O policial civil José Maria Mendonça, 46 anos, foi morto no último sábado, com dois tiros na cabeça, em sua residência, no Km 37, em Laguna, com um revólver calibre 32. O corpo foi encontrado pelo cunhado de Zico, no dia seguinte ao crime, às 8h20min. Além de uma pistola ponto 40, foram levados da residência um celular, um telefone com identificador de chamadas e R$ 30 mil, que seriam utilizados na compra de um veículo para a filha.