Tubarão

Cerca de 55 mandados de busca e apreensão foram cumpridos ontem por policiais civis em nove municípios do sul catarinense. A “Operação Fio de Ouro” foi deflagrada pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e visa combater a utilização de softwares piratas em Santa Catarina. Foram cumpridos mandados em empresas de confecções, faccionistas e escritórios de modelistas em Laguna, Grão-Pará, Armazém, Tubarão, Jaguaruna, Criciúma, Morro da Fumaça, Treze de Maio, Nova Veneza e Sombrio.

Segundo a assessoria de imprensa da PC, foram apreendidos seis computadores em Sombrio e 14 em Criciúma (as informações sobre as demais cidades não foram divulgadas). O delegado de Capivari de Baixo, Daniel Garcia, participou da operação em Jaguaruna e Treze de Maio. “A minha equipe ficou responsável por cumprir três mandados. Um técnico da empresa que produziu o software nos acompanhou e pela análise feita por ele, este programa pirateado não foi encontrado nas empresas que visitamos”, relata o delegado.

Em investigações realizadas pela Deic, constatou-se que diversas empresas compraram versões pirateadas de softwares produzidos no estado. O original é vendido a R$ 15 mil e o pirata a R$ 200,00.