Representantes de todos os órgãos de segurança participaram da missa de corpo presente.
Representantes de todos os órgãos de segurança participaram da missa de corpo presente.

 

Priscila Loch
Tubarão

Muita comoção marcou a missa e o sepultamento do corpo do guarda municipal Marcelo Goulart Silva, 33 anos, na tarde de hoje, assassinado ontem por assaltantes, próximo à antiga rodoviária de Tubarão. A família pede justiça e cobra que a GM receba equipamentos de segurança, inclusive armas.

O prefeito Manoel Bertoncini estima que os armamentos sejam adquiridos neste semestre. A compra ainda não foi efetuada porque apenas metade dos guardas municipais tubaronenses participou do curso de tiro, ministrado pela Academia de Polícia Civil (Acadepol), em Florianópolis.

Seis pessoas foram presas por envolvimento no latrocínio (roubo à Relojoaria Orient, no Beco do Simão, seguido da morte do guarda), quatro delas por participação direta na morte.

Neste momento, representantes da sociedade organizada estão reunidos na Associação Empresarial de Tubarão (Acit) para discutir a questão da segurança pública na cidade.