Fotos: Agenor Oening/Divulgação

Uma onda de animais envenenados tem incomodado os moradores de Aiurê, em Grão-Pará, principalmente o aposentado Agenor Oening, morador do local. Os casos iniciaram há cerca de um ano mas, segundo Agenor nos últimos meses os casos aumentaram.

Ele conta que só dele já morreram três animais, além de vários outros de seus vizinhos. “No local onde eles colocam veneno já morreram muitos pássaros, isso fica perto da minha casa”, lamenta.

Por conta do aumento dos casos, dois boletins de ocorrência já foram registrados. Um pela internet e outro na delegacia de Grão-Pará. Ele disse que polícia afirmou que investigará as mortes.

Agenor lembra que há cerca de um ano a cachorra Luna foi envenenada. “O paçoca, um cachorrinho filhote de 6 meses morreu há aproximadamente três meses. O gato pipo faz uma semana e a cachorra Lulu comeu veneno no dia 7 e não morreu”, detalha.

O aposentado explica que uma veterinária do Aiurê deu os primeiros atendimentos à cachorra que depois foi levada para uma clínica veterinária em Braço do Norte, onde ficou internada por dois dias. “Agora ela está bem melhor”, comemora.

Uma das vizinhas de Agenor perdeu dois gato envenenados. “Um faz seis meses o outro foi há poucos dias. Já o outro vizinho teve dois cachorro envenenados, mas os dele não morreram”, e ele continua, “Tem outros gatos e cachorro de outro vizinho que foram envenenados e morreram também”, relata.

Ao todo, de acordo com Agenor, neste período de aproximadamente um ano, cerca de 10 animais perderam a vida por conta dos envenenamentos, além das aves. “Encontrei mais de 15 pássaros mortos, possivelmente envenenados. No dia seguinte não estavam mais lá. Possivelmente trata-se do local em que foi colocado o veneno”, avalia o morador.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul