Amanda Menger
Tubarão

Nos próximos meses, quem estiver em Criciúma e Florianópolis e ligar para os números de emergência 190 (Polícia Militar), 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu), 193 (Corpo de Bombeiros) e para o 198 (Polícia Militar Rodoviária) terá as chamadas atendidas em único lugar. A Central de Emergência já funciona em Balneário Camboriú, Joinville e Blumenau.

Tubarão também será contemplada, porém, não este ano. “É que o projeto de Tubarão compreende também o monitoramento com câmeras de segurança. Ainda temos que finalizar estes projetos e determinar o orçamento”, esclarece o coordenador das centrais de emergência, tenente-coronel Vânio Luiz Dalmarco.

As centrais funcionarão como um call-center. “O estado providenciou um edital para contratação de 250 agentes. Os bombeiros e policiais militares que atuam nas centrais de operação poderão voltar ao trabalho ostensivo. Os contratados serão treinados para que possam identificar e acionar a corporação para o atendimento. Os quartéis não deixarão de existir, só vamos otimizar o trabalho. No caso de Tubarão, serão atendidas também as cidades próximas, como Laguna e Braço do Norte”, afirma Dalmarco.

Em Tubarão, só o Samu não será atendido pela central. “A regulação continuará em Criciúma, devido ao número de habitantes, como determina o Ministério da Saúde. Mas deixaremos o espaço para que eles atuem futuramente. A Guarda Municipal também poderá trabalhar nesta central, que será instalada no 5º Batalhão da Polícia Militar”, revela o tenente-coronel.

Sistema de informações também será modificado
No próximo ano, o sistema de informações da Polícia Militar será alterado. O governo do estado licitará a contratação de empresas que desenvolverão quatro projetos. Entre eles, está o mapeamento do estado (com as ruas nas cidades), geoprocessamento (localização por coordenadas geográficas), colocação de GPS nos veículos e ainda o desenvolvimento de softwares para o registro das ocorrências.

“Com estes projetos, poderemos mapear as ocorrências, saber onde estão os pontos críticos e os horários. Este ano, faremos a contratação das empresas e, até o meio do próximo ano, faremos os testes na Central de Emergência de Florianópolis”, revela o tenente-coronel Vânio Luiz Dalmarco, coordenador estadual das centrais de emergência. O novo sistema poderá ser disponibilizado para todo o estado até o fim de 2010.