São Paulo (SP)

O incêndio que destruiu dois apartamentos em Santos, no litoral de São Paulo, teria sido causado por um aparelho celular que superaqueceu após ter sido deixado no carregador, segundo o Corpo de Bombeiros. De acordo com a corporação, as causas do incêndio permanecem sendo investigadas pela perícia.

Conforme apurado pelo G1, o acidente aconteceu na última quinta-feira (2). O apartamento, localizado na Avenida Marechal Floriano Peixoto, no bairro da Pompéia, era destinado à reserva de temporada e foi alugado por um grupo de turistas.

Em relato aos bombeiros, os turistas afirmaram que, antes de sair do imóvel, um deles deixou o celular carregando em cima de uma cama, o que fez com que o aparelho tivesse um superaquecimento.

O Corpo de Bombeiros aponta que, segundo o grupo, o celular gerou um foco de incêndio, fazendo com que o fogo se espalhasse pelo apartamento. As chamas puderam ser vistas da janela de um dos quartos. Os bombeiros, além da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, foram acionados para o local.

Na ocasião, o trânsito chegou a ficar interditado interditado no local e os motoristas foram orientados a retornar pela contramão, sentido à Avenida Senador Pinheiro Machado (Canal 1). O prédio foi evacuado.