Paulinho Sachetti
Tubarão

Pelo menos dez máquinas caça-níqueis em forma de maleta e R$ 11 mil foram apreendidos na noite de quarta-feira e no início da madrugada de ontem, em um cassino na mansão de Gilvete Moraes, ex-esposa de Flávio Bernardino dos Santos, que cumpre pena em São Pedro de Alcântara, condenado como o mentor do mega desmanche descoberto em Tubarão em 2002.

De acordo com a família de Bernardino, a casa, situada às margens do rio Tubarão, na avenida José Acácio Moreira, pertence a Gilvete, que ficou com o bem como parte do pagamento da pensão aos filhos na separação de bens.
A mansão possui vários cômodos e, segundo informações extraoficiais, estava alugada. Nos fundos, existem galpões.

A Polícia Militar já havia recebido várias denúncias. Durante a noite, o movimento era bastante intenso no local. O fato é confirmado pela vizinhança e por um vigia noturno.
O esquema montado para os jogadores foi bastante estudado. Os clientes do cassino clandestino entravam por portões na lateral da casa. Para não levantarem suspeitas, os fregueses mais assíduos tinham controles dos portões e acesso a hora que bem entendessem.

No momento da abordagem da PM, cerca de dez pessoas jogavam nos caça-níqueis. Todas responderão um termo circunstanciado pelo crime. Apenas um acusado ficou detido. As máquinas foram levadas para o pátio do 5º Batalhão da Polícia Militar, em Tubarão.