Mirna Graciela
Laguna 
 
Trinta pessoas já prestaram depoimento sobre o assassinato do policial civil José Maria Mendonça, 46 anos, de Laguna. Os trabalhos estão em ritmo acelerado. A previsão é de que o caso seja solucionado na próxima semana, quando a Polícia Civil terá todos os subsídios para desvendar a autoria do crime. Ontem, foi realizada uma reprodução simulada a fim de verificar o álibi de um dos suspeitos. 
 
“Nós fizemos o trajeto dessa pessoa no dia do homicídio, tudo cronometrado e filmado, e o laudo será apresentado na próxima sexta-feira”, informou o delegado do Centro de Operações da Polícia (COP) de Laguna, Rubem Thomé, coordenador das investigações.
 
Entre as pessoas ouvidas até o momento, estão familiares, vizinhos e fornecedores do Esporte Clube Juventude, no qual Zico era presidente. Todas as hipóteses são investigadas, desde latrocínio até a possibilidade do criminoso ter ligação com a vítima. 
 
A polícia agora aguarda os resultados da perícia, da reprodução simulada, do laudo cadavérico, que apontará o horário do crime, e da comparação balística para confirmar se uma das duas armas encontradas na lagoa de Santo Antônio (calibre 32) é a mesma utilizada no crime. “Daí sim, com todas essas informações, chegaremos a uma conclusão”, finalizou o delegado. 
 
Lembre o caso
O policial civil José Maria Mendonça, 46 anos, foi morto no último sábado, com dois tiros na cabeça, em sua residência, no Km 37, em Laguna, com um revólver calibre 32. O crime ocorreu entre 16h30min e 19h30min, segundo os cálculos do Centro de Operações da Polícia do município. O corpo foi encontrado pelo cunhado de Zico, domingo, às 8h20min. Um revólver calibre 32 – exatamente a arma de trabalho de Zico – e uma pistola ponto 40 foram encontrados juntamente com um celular e uma base de telefone dentro de uma sacola boiando na lagoa atrás do Mercado Público, no dia seguinte. 
 
Outros assassinatos
 
Além da morte do policial Zico, mais dois homicídios ocorreram este ano na região:
 
Imbituba
Edson Demétrio da Silva, 24 anos, foi atingido no braço e no peito por um tiro durante a festa de Réveillon no Canto da Praia da Vila, em Imbituba, no dia 1º. O crime ocorreu às 3h45min. O assassino efetuou três disparos contra Edson após um esbarrão. Somente um tiro pegou na vítima, mas foi fatal. 
 
Gravatal
Um gaúcho foi assassinado na última segunda-feira à noite, em Gravatal. Pedro Leandro Cardoso, 37 anos, envolveu-se em uma briga com o dono de um bar, no bairro Brasília, e levou um tiro no peito, no lado direito.