Tubarão

O servente de pedreiro Diogo da Costa Oliveira, 20 anos, disse em depoimento que tem perda de memória, dupla personalidade e é viciado em bebida alcoólica. Caso estes sintomas sejam comprovados, ele deve ficar até dez anos preso e abrir mão das brechas da justiça e das progressões de regime.

Diogo aguarda julgamento no Presídio Regional de Tubarão por ter matado asfixiada a costureira Morgana da Silva, 24 anos, sábado, em Braço do Norte. Diogo passará por exames e acompanhamento psicológico nos próximos dias. O próprio delegado Marcelo Bitencourt, que coordena o inquérito sobre o quarto homicídio do ano na cidade, informa que o rapaz pode piorar ainda mais a sua situação.

“Caso seja comprovado o desvio mental, Diogo deverá ser encaminhado ao Instituto de Psiquiatria Colônia Santana, em São José. Lá, ele terá ficará pelo menos dez anos”, explica Marcelo.
Se Diego for considerado ciente nas suas ações, deve ser julgado por homicídio e cumprir só sete anos em regime fechado.