O desaparecimento da menina Isis Helena, 1 ano, mobiliza guardas, bombeiros, policiais, cães farejadores e voluntários na cidade de Itapira, no interior de São Paulo. A criança sumiu na segunda-feira (2). As investigações estão sob comando da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) da cidade.

A mãe da criança registrou um boletim de ocorrência alegando que Isis desapareceu de dentro de casa. A mulher disse que foi ao banco com sua avó, de 90 anos, e deixou Isis no quarto dormindo. Depois, seguiu para a casa do filho mais velho enquanto sua avó voltou ao local onde estava a bebê.

Ainda segundo a mãe, ao retornar, aproximadamente 20 minutos depois de se separar da idosa, percebeu que Isis não estava mais no quarto. Nos primeiros dias de busca, a mulher admitiu que costumava deixar a filha sozinha quando precisava resolver algumas questões na rua.

Isis é portadora de necessidades especiais e, de acordo com vizinhos, a mãe não lidava bem com a condição da filha. A investigação está reunindo provas materiais e colhendo depoimentos de testemunhas, com o objetivo de identificar o autor do possível crime.

Depoimentos, apreensões e novas buscas correm em sigilo, e são centralizados na DDM da região. Segundo a Defesa Civil, quanto mais dias se passam desde o desaparecimento, mais difícil fica para os cães farejadores indicarem um possível paradeiro da bebê. Ainda de acordo com o órgão, devido a falta de recursos para a realização de buscas, a partir de agora as principais pistas devem vir de denúncias e testemunhas.

O último trabalho de buscas seguiu uma denúncia anônima. A equipe da Defesa Civil voltou à Praça da Árvore para procurar novas pistas em um poço abandonado que já havia sido indicado por cães farejadores como local de passagem da criança. Nada de novo, no entanto, foi encontrado.