Amanda Menger
Pedras Grandes

O procurador da república de Florianópolis, Marcelo da Mota, entrará nos próximos dias com um recurso contra a decisão da juíza da 1ª Vara Criminal Federal, Ana Cristina Krämer, que negou a prisão preventiva do ex-gerente geral do Besc de Pedras Grandes, Edílson Vieira de Souza.

O representante do Ministério Público Federal (MPF) não concordou com os argumentos da juíza. A magistrada afirma que tanto Edílson quanto o ex-gerente administrativo Márcio Martins têm residência fixa, apresentam-se sempre que solicitados pela justiça e colaboram com as investigações.

Os dois são suspeitos de desvio de dinheiro das contas-poupanças e respondem a crime contra o sistema financeiro. Os advogados de ambos já apresentaram a defesa prévia e, segundo a assessoria da Justiça Federal, em breve, o despacho deve ser disponibilizado.

Os ex-gerentes chegaram a ser presos, em uma operação realizada pela Polícia Civil, juntamente com outras três pessoas. Eles ficaram alguns dias detidos no Presídio Regional de Tubarão e foram liberados.