Amanda Menger
Pedras Grandes

A denúncia e o pedido de prisão preventiva dos suspeitos pelo sumiço de dinheiro das contas poupanças do Besc, de Pedras Grandes, ainda não foi solicitado pelo procurador da república em Florianópolis, Marcelo da Mota. A expectativa é que isso ocorra nos próximos dias.

Segundo a assessoria do procurador, a denúncia foi redigida e logo deve ser protocolada. A acusação é de crimes contra o sistema financeiro, formação de quadrilha, apropriação de valores de correntistas, gestão fraudulenta e ainda subtração de função pública. O inquérito foi feito pelo delegado da Central de Polícia Civil de Tubarão, Marcos Ghizoni, e poderá ser complementado por investigações da Polícia Federal.

“Com o processo judicial, as testemunhas serão arroladas, tanto da defesa quanto da acusação, para uma audiência de instrução. Só depois disso é que o juiz federal da 3ª vara criminal de Florianópolis dará a sentença. Estimo que isso ocorrerá no prazo de um até dois anos”, avalia o procurador.