Maycon Vianna
Tubarão

A advogada Anne Buss e seu companheiro, ambos acusados de associação ao tráfico de drogas, podem ganhar a liberdade nas próximas semanas. A afirmação é do advogado de defesa do casal, Charles Conceição. Na terça-feira, houve uma audiência de instrução, onde foram ouvidos Anne, o parceiro e outras 27 pessoas envolvidas no caso. “Achamos melhor não entrar com o pedido de liberdade provisória, pois isso acarretaria no atraso do processo em pelo menos 15 dias para a análise. No máximo em 20 dias teremos a solução do caso”, acredita Charles.

Anne e seu companheiro estão presos há mais de cinco meses. A advogada continua detida na Unidade Prisional Avançada de Imbituba. Já o companheiro está no Presídio Regional de Tubarão. Eles foram detidos durante a Operação Metástase (a multiplicação de uma doença) da Polícia Civil, quando retornavam de um sítio em Indaial de Cima, no fim de novembro do ano passado. Em uma casa do sítio onde estavam os suspeitos, foram encontrados 239 gramas de crack e mais 170 de cocaína. Além da droga, foram apreendidas duas balanças de precisão e mais R$ 2 mil em dinheiro.

“O Ministério Público tem três dias para as alegações finais e nós também. Acredito que ela será absolvida da acusação do crime de associação ao tráfico de drogas. Todas as justificativas possíveis, inclusive que não há nenhuma ligação com o PCC, foram dadas. Os depoimentos dos outros acusados isentam Anne e o companheiro”, afirma.

Anne espera ser absolvida

A expectativa da absolvição da advogada Anne Buss e do seu companheiro é grande, após a realização da audiência de instrução, na terça-feira, que iniciou às 8h30min e terminou às 19h30min, no Fórum de Tubarão. “Quem estava com as drogas assumiu a posse e a Anne não é a responsável pelo gerenciamento. Temos certeza que o casal sairá da prisão, caso contrário, entraremos com o recurso”, afirma o advogado de defesa, Charles Conceição.

A advogada continua detida na Unidade Prisional Avançada de Imbituba. Já o outro envolvido está no Presídio Regional de Tubarão. Eles foram presos durante a ‘Operação Metástase’, realizada pela Polícia Civil de Tubarão. Na residência em Indaial de Cima, vistoriada pelos investigadores na madrugada do dia 28 de novembro do ano passado, estavam 239 gramas de crack e mais 170 de cocaína.
Além da droga, foram apreendidas duas balanças de precisão e mais R$ 2 mil em dinheiro. No escritório da advogada, lacrado meses depois de sua prisão, foram encontrados notebooks, cheques e documentos falsificados: carteiras de identidades e folhas de pagamentos.