O casal de Capivari de Baixo acusado de torturar e tentar matar a filha de apenas dois meses de vida foi condenado a 50 anos de prisão. O julgamento foi nesta segunda-feira (29) no Tribunal do Júri de Capivari e durou 18 horas.

A agressões aconteceram entre os meses de maio e julho de 2018. Os pais da criança vão responder por crime de tortura-castigo e homicídio qualificado na modalidade tentada.

De acordo com a Polícia Civil, a motivação do crime, o pai desconfiava que a filha não era sua por apresentar cor da pele mais clara que a do casal. Então ele a agredia com socos, pontapés e cotoveladas.

A criança chegou a ser levada para hospital em Tubarão durante quatro vezes, em curto espaço de tempo, com sinais de convulsão, sangramento na boca, afundamento de craniano e lesões nos braços, pernas e costas.

Os médicos suspeitaram que as lesões eram decorrentes de agressões domésticas e acionaram as autoridades. O Conselho Tutelar levou a denúncia à Polícia Civil de Capivari de Baixo, que prendeu o pai da criança em flagrante delito pelo crime de homicídio na forma tentada. O pai ficou preso até o julgamento.

A mãe também foi condenada. De acordo com a polícia,”na função de garantidora da não ocorrência do resultado, falhou, ao não agir para evitar o resultado, deixando de levar ao conhecimento das autoridades as agressões sofridas pela filha”.

Depois de mais de 18 horas de julgamento o Conselho de Sentença, representado por sete jurados escolhidos entre os próprios moradores de Capivari, reconheceu parcialmente a culpabilidade do casal, e o juiz-presidente da sessão sentenciou o casal a penas privativas de liberdade que, juntas, somam 50 anos de prisão.