Maycon Vianna
Tubarão

O número de armas apreendidas pela Polícia Militar de Tubarão em menos de dois meses impressiona e traz à discussão novamente a campanha do desarmamento. Em muitos casos, revólveres, pistolas e fuzis estão nas mãos das pessoas erradas, sem preparo e sem licença para uso, o que pode ocasionar o aumento no número de homicídios (em Tubarão, foram cinco em 50 dias).

Só nos últimos 45 dias, a Polícia Militar (PM) apreendeu 18 armas em diversos locais como Beco do Quilinho (Morrotes), Morro do Bem Bom (São João), Área Verde (Campestre). Ainda, aproximadamente 120 munições intactas também foram apreendidas.

Em um dos últimos casos, uma denúncia resultou na apreensão de um revólver calibre 38 dentro de um latão de plástico, na avenida Patrício Lima, no bairro Humaitá. Do total de armas recolhidas pela polícia em menos de dois meses, 11 são revólveres de calibre 38 e sete pistolas 380 milímetros.

Desde que a opinião pública nacional tomou conhecimento do projeto de lei 1073/99 que restringe, entre outras coisas, a posse de armas de fogo, o assunto passou a ter destaque especial nas conversas dos mais diferentes grupos sociais. “As armas deveriam estar em posse de pessoas que garantem a segurança da população. Não se pode banalizar o uso ilegal de armas, pois, em uma simples discussão no trânsito, podem tornar-se uma fatalidade”, destaca o capitão da Polícia Militar de Tubarão, Reinaldo Pires.