Os bombeiros trabalharam toda a tarde para localizar o corpo. O local possui em alguns pontos 12 metros de profundidade e muitas tocas de pedras.
Os bombeiros trabalharam toda a tarde para localizar o corpo. O local possui em alguns pontos 12 metros de profundidade e muitas tocas de pedras.

Mirna Graciela
Tubarão

As buscas pelo corpo de Natan Gonçalves Nunes, de 12 anos, que se afogou nesta sexta-feira, no rio Tubarão, reiniciam neste sábado. O garoto tomava banho no bairro São João Margem Esquerda.
Com ele, estavam mais quatro meninos, com idades entre 7 e 10 anos, por volta das 11h30min. Uma bolinha de tênis foi jogada na água, Natan foi pegá-la e se afogou. A Polícia Militar foi acionada e as guarnições do Corpo de Bombeiros de Tubarão e Capivari de Baixo.

Dez profissionais trabalharam (dois mergulhadores) durante toda a tarde para localizar o corpo. O rio possui 50 metros de largura, no lugar do afogamento. Em alguns locais, chega a 12 metros de profundidade.
Os bombeiros tiveram dificuldades porque o rio possui pontos em que existem diversas paredes (tocas) de pedras sobrepostas e muitos galhos. Eles utilizaram técnicas de mergulho e buscas com bote inflável.

Os pais do menino estão inconsoláveis. “Meu filho não tinha esse costume de tomar banho no rio, sempre foi estudioso, todos gostam dele”, lamentou o pai, Alex da Silva Nunes, 36 anos. Ele acompanhava as buscas na beira do rio e chorava muito. Sua esposa passou mal quando soube da notícia e teve que receber atendimento médico.
Segundo Alex, Natan levantou, tomou café e disse que ia jogar taco com os amigos. O casal, que possui outros três filhos, mora há pouco tempo no Condomínio Parque das Torres, na mesma localidade.