Garopaba

Bem próximo ao Dia Internacional da Mulher, uma foto chocante circula nas redes sociais e mostra o rosto de uma mulher de 45 anos, totalmente ensanguentado após uma briga com seu vizinho de 37 anos, em Garopaba. Ambos se acusam de terem sido ofendidos e foram parar na delegacia, mas ninguém foi preso. Ele diz que recebeu uma tijolada e ela já tem seis boletins de ocorrência contra o vizinho.

Conforme a mulher, um outro vizinho salvou sua vida após receber vários socos na  frente de sua filha de 19 anos. A mulher conta que o seu desafeto invadiu sua casa na última sexta-feira, um dia após a reunião de conciliação em que não houve acordo. Após ir para cima de sua filha, ele a jogou no sofá e desferiu diversos socos em seu rosto. “Achei que iria morrer na frente da minha filha, ele não parava de bater na minha cabeça até um vizinho me socorrer”, conta.

Os dois moram no mesmo prédio e ela já registrou pelo menos seis boletins de ocorrência contra ele por ofensas e agressões, e o homem continua a xingá-la sempre que a encontra. “Após a audiência em que nada aconteceu, ele se sentiu mais seguro para fazer o que bem entende e fui brutalmente espancada porque disse que se vingaria. Agora minha filha em estado de choque e por sorte meu menino de 10 anos não estava em casa”, lamenta a mulher, que está com os dois olhos roxos, cortes por todo o rosto e o braço machucado.

Nesta segunda-feira (6) ela foi à cidade de Laguna para realizar o exame de corpo de delito. Desde o dia da agressão saiu de casa e está morando em outro lugar como uma foragida, com medo de novas agressões.

A versão do homem

Em contato com o homem, que também fez uma publicação em seu facebook, ele conta que na última sexta a mulher começou a xingar ele e sua mãe. Quando teria se virado, ela teria atirado um tijolo em suas costas, o que o fez perder a cabeça e partir para a agressão.

O homem saiu algemado para a delegacia, mas foi liberado porque não teria antecedentes criminais. Conforme relata, a mulher já teria se desentendido com dois outros vizinhos e suas provocações já duram dois meses. “Acabei não me aguentando, não tenho sangue de barata e agora as pessoas estão me cobrando por coisas que não fiz”, defende-se.

Ele a sua mãe também saíram de casa. A violenta agressão gerou uma série de ameaças.

A mulher disse que vai entrar com uma ação junto ao advogado para dar um fim ao terrorismo em que sua família vem sofrendo. Ela ainda mostrou umas mensagens de áudio onde o homem ameaça a própria irmã e impede ela de ver a própria mãe.

Fonte: Portal Click Sul