“Do dia fica o cansaço. A triste lembrança das vidas que tão precoce se foram, dois anos um rostinho angelical frágil de toque caloroso mais de coração que já não pulsa e teima em não voltar. Junto também se vai mais alguém, jovens, 40 anos com sonhos planos. Amores e amados. Outros no mesmo carro com dores que lhes impedem de ver ou compreender o quanto dói em quem está do lado ou que já mais nada sente. Disso levamos alguém que teria uma vida toda plena pela frente, com grande risco e potencial grave. Ambulância a essa altura está pedindo uma limpeza e repor materiais. 

Entre as vítimas está o menino Isac (foto detalhe), de 2 anos, que viajava sem cadeirinha e foi projetado para o painel do carro no momento da colisão.

Voltando do hospital infantil ainda na via expressa somos acionados para outro acidente com vítimas graves agora km 80, 282. Deslocamos até lá e lamentavelmente mais dois óbitos. Quantas dores, quantos amores se vão,quantos amados choram? Essas dores não nos tornam insensíveis, continuam conosco, oramos e agradecemos por dores aliviadas e rogamos a Deus sua misericórdia com os que já não nos pertencem mais. Estamos limitados a estar em um lugar por vez, aí o bom senso, a humanidade deveria ser boa conselheira. Aqui se faz com amor em favor de vidas alheias”.