Travessia está liberada para o tráfego. Cabeceira Norte está pronta. Falta apenas sinalizar horizontalmente poucos metros da rodovia no trecho  -  Foto:Dnit/Divulgação/Notisul
Travessia está liberada para o tráfego. Cabeceira Norte está pronta. Falta apenas sinalizar horizontalmente poucos metros da rodovia no trecho - Foto:Dnit/Divulgação/Notisul

Rafael Andrade
Tubarão

O último trecho de pista simples da BR-101 em terras catarinenses foi transformado em duplicada nesta sexta-feira. O gargalo na região da nova ponte sobre o rio Tubarão, entre os bairros Fábio Silva, Morrotes e São João, teve as duas pistas liberadas e os motoristas puderam sentir a tranquilidade de fluxo, sem filas, sem transtornos, sem homens e máquinas na pista. Somente um detalhe pendente, a sinalização horizontal, o qual deve ser sanado até a próxima segunda-feira, ficou para trás. A obras de duplicação da 101 no trecho catarinense custaram R$ 28.159.110,44 aos contribuintes.

O Notisul já havia adiantado, com exclusividade, que os primeiros veículos já trafegavam na nova ponte desde a última quarta-feira, porém somente em uma pista. Agora, com a obra pronta, o túnel do Morro do Formigão em plena trafegabilidade (lembrando que a velocidade máxima no túnel é de 60km/h), e o viaduto de acesso aos bairros Sertão dos Corrêas e Cruzeiro praticamente pronto, não há mais formação de filas em vias municipais da Cidade Azul, que ficavam entupidas de caminhões e outros veículos de motoristas que tentavam fugir dos congestionamentos devido às obras na  rodovia federal e, provavelmente, a quantidade de acidentes será consideravelmente reduzida no trecho citado.

É bom frisar que Tubarão é a maior cidade em número de habitantes (quase 105 mil), veículos (quase 90 mil) e motoristas entre os municípios no trajeto da BR-101 no Sul do Estado (tirando um pequeno trecho pertencente a Criciúma, no bairro Quarta Linha). O trecho Sul compreende a pista duplicada entre Palhoça, na Grande Florianópolis, e Osório, no Rio Grande do Sul.

A 101 inicia na cidade de Touros (Rio Grande do Norte) e termina em São José do Norte (Rio Grande do Sul). Construída pelo Exército Brasileiro, atravessa 12 estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A extensão total é de 4.772 quilômetros, é a maior estrada do país. Foi inaugurada em 1957 (trecho Curitiba – Florianópolis).