#Pracegover Na foto, policiais e multidão em frente a uma residência
Foto: Reprodução

O homem (28 anos) que fez uma família refém nesta segunda-feira (5), em Balneário Gaivota, foi morto a tiros pela polícia depois que se recusou a se render.

Por volta das 7h30 de hoje ele foi até à residência à procura do ex-patrão. Como o ex-patrão não estava em casa, o homem invadiu a casa portando uma faca e fez a família como refém: a esposa e os três filhos. Foram horas de negociações.

No começo da tarde o sequestrador liberou uma criança de 4 anos, depois os irmãos de 15 e 16 anos. A última pessoa a ser liberada foi a esposa (36 anos), por volta das 17 horas.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Luís Otávio Pohlamnn, depois de liberar a mulher, os agentes iniciaram o processo de rendição do sequestrador. Foi arremessada uma granada de efeito moral, mas não houve efeito.

“O sequestrador não se rendeu, partiu para cima dos agentes portando uma faca e acabou sendo alvejado para garantir a integridade física dos policiais”, disse o delegado.

Agora a Polícia Civil vai instaurar um inquérito para apurar o caso. Até o momento o que se sabe é que o sequestrador trabalhou dois dias na empresa de construção civil e foi demitido há cerca de duas semanas.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul