Maycon Vianna
Tubarão

“Alô, quem é?”. “Sou eu, não conhece mais a minha voz? Quero saber se você está usando aquela calcinha pequena que fica coladinha…”.
O diálogo ‘apimentado’ entre um homem de 32 anos desempregado e uma garota de 12 anos, filha de um empresário tubaronense, terminou em prisão em flagrante, por volta das 12h30min de ontem.

A menina conversava com o homem há cerca de dez dias. Ele afirmou que encontrou o telefone da adolescente anotado em um telefone público da cidade. “Era só uma brincadeira. Estou arrependido. Não tinha segundas intenções. Não queria que isso ocorresse”, lamentou.

A jovem alertou os pais que recebia telefonemas estranhos do homem. “Ele aliciava vergonhosamente a minha filha. Então, combinamos com ela para ele ligar no dia em que estivéssemos em casa. Isso, felizmente, ocorreu hoje (ontem). Ele dizia também que era do ramo da moda e oferecia dinheiro e trabalhos fotográficos”, contou o empresário.

O pai da adolescente telefonou para a Delegacia da Criança, Adolescente, Proteção à Mulher e ao Idoso de Tubarão e conversou com um policial, que descobriu o endereço em onde localiza-se o telefone público de onde o homem ligava, na rua Galdino José de Bessa, próximo a uma padaria, no bairro Oficinas. No mesmo instante, foi caracterizado o flagrante.

O próprio pai da garota chegou no local e viu o rapaz no telefone. A Polícia Militar prestou apoio na operação. Em seguida, o acusado foi encaminhado à delegacia.
Por volta das 16h30min, o homem foi liberado. Ontem, a delegada Larizza Antunes dos Santos não foi encontrada para dar detalhes sobre o caso.