Wagner da Silva
Tubarão

O crime bárbaro ocorrido segunda-feira na localidade de Rio Santo Antônio, em Braço do Norte, continua um mistério. Provavelmente por pouco tempo. A Polícia Civil já tem boas pistas que podem rapidamente levar ao assassino do homem encontrado carbonizado em um matagal. Dois laudos – um do IML e outro da perícia técnica – são aguardados para a próxima semana. O cadáver ainda encontra-se no IML de Tubarão. Ele tinha uma aliança na mãe esquerda e a cabeça está preservada, o que auxiliará a polícia a identificar a vítima com maior facilidade.

A polícia já conseguiu apurar, porém, que o homem morreu em decorrência de um traumatismo craniano devido a um golpe forte na cabeça. A hipótese mais forte é que se trate de uma queima de arquivo. Um indício que reforça a tese é que, horas após o crime, uma caminhonete incendiada foi encontrada, pela Polícia Militar, em Orleans. As pistas apontam que as ocorrências possam ter ligação, já que o crime ocorreu em outro lugar e não onde o corpo foi encontrado.

Ainda, uma segunda ocorrência descoberta ontem pela polícia pode ter ligação com o assassinato: na última semana, um registro de desaparecimento foi efetuado em São Ludgero. O cadáver não é do homem desaparecido, mas os policiais receberam a informação de que ele possa estar envolvido no crime. Conforme testemunhas, a última vez que o suposto desaparecido foi visto estava na companhia de outras duas pessoas.

A Polícia Civil aguarda também os laudos referentes a caminhonete encontrada queimada. Segundo um dos investigadores responsáveis pelo caso, é possível chegar a uma identificação através do registro do veículos. As gravações feitas em um posto de combustíveis, onde uma pessoa foi vista na madrugada de segunda-feira com marcas de sangue pela roupa, também já foram solicitadas.