#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher sorrindo, de óculos, com as mãos no rosto e ela está de casaco
#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher sorrindo, de óculos, com as mãos no rosto e ela está de casaco

A Polícia Civil de Laguna continua a investigar o assassinato da taxista Zélia Regina de Souza. Ela foi encontrada por uma mulher que passava de carro na Estrada Geral da Praia do Gi nesta sexta-feira (21), um local pouco movimentado.

A motorista viu o corpo caído e ligou para a Central de Emergências. Uma guarnição da Polícia Militar de Laguna deslocou-se ao lugar e confirmou que se tratava de um crime. Zélia faria 67 anos nesta sexta e seu corpo estava em um buraco raso. Aparentemente, ela foi morta com três tiros na cabeça.

Ela estava com o rosto bastante machucado e aparentemente foi morta com três tiros na cabeça. O carro da lagunense não estava no local. O veículo foi encontrado incendiado em uma área de mata no bairro Madre, em Tubarão, horas após o corpo ser descoberto.

Carro de Zélia foi localizado em Tubarão e passará por perícia

A polícia não descarta a hipótese de latrocínio, mas não há um pronunciamento oficial neste momento. Outras linhas também são investigadas e não serão feitas novas divulgações sobre o caso para não frustrar as diligências policiais.

Zélia era bastante conhecida na cidade e, antes de ser taxista, ela era professora da Rede Estadual de Ensino e atuou por anos na Escola de Educação Básica Ana Gondin, no bairro Magalhães.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul