Maycon Vianna
Tubarão

“Passa o dinheiro, entrega tudo o que você tem aí no caixa. Não chama a polícia, senão eu te furo”. A ameaça de dois criminosos que assaltaram o posto de combustível Franzini, na rua Sílvio Búrigo, próximo à Feinvest, no bairro Monte Castelo, fez o frentista Roberto Chaves Trupper (foto), 17 anos, passar por momentos de sofrimento. O roubo ocorreu ontem, por volta das 10 horas.
No momento em que os bandidos chegaram em uma moto azul, Roberto estava sozinho no estabelecimento. “Um dos ladrões chegou a me dar um soco com o revólver (coronhada). Pediu para eu ficar quieto e, caso chamasse a polícia, eles me ameaçaram de morte”, relata o funcionário.

Os assaltantes pararam em frente à sala que dá acesso ao caixa e pediram todo o dinheiro. A ação não durou mais que cinco minutos. “Só tínhamos R$ 92,00 no posto. O gerente tinha acabado de sair com um malote com todo o dinheiro. Eles disseram que a quantidade era pouca, sabiam que poderia ter uma quantia maior de dinheiro”, detalha a vítima.

Não satisfeitos, os ladrões levaram também três maços de cigarro, comercializados no local. “Eles estavam de capacete, por isso, não deu para reconhecê-los. Cheguei a anotar a placa da moto e a polícia constatou que o veículo era roubado”, diz.
Os policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) da Polícia Militar de Tubarão fizeram sucessivas rondas na localidade, mas nada encontraram.
Roberto Chaves está em Tubarão há cerca de quatro anos. Ele é natural de Florianópolis. “Já fui assaltado três vezes na cidade. Os tubaronenses passam por apuros devido à falta de segurança. É lamentável”, desabafa.