O Colégio São José e o Galotti foram alguns dos locais em que o policiamento esteve presente durante todo o período de votação -  Fotos: Mirna Graciela/Notisul
O Colégio São José e o Galotti foram alguns dos locais em que o policiamento esteve presente durante todo o período de votação - Fotos: Mirna Graciela/Notisul

Tubarão

A avaliação sobre as ocorrências policiais no dia das eleições, ontem, nos municípios de abrangência da 8ª Região de Polícia Militar (RPM) de Tubarão, é considerada positiva. Em alguns locais, nas 19 cidades pertencentes à corporação, o efetivo atuou de forma fixa, em outros em rondas.

Capivari de Baixo e Sangão registraram o maior número de tumultos. “Chegou a ocorrer. Foram discussões verbais entre adversários políticos nas proximidades dos locais de votação, mas que ficaram somente por isso, pois a justiça eleitoral, por meio de juízes e promotores, com o nosso apoio, manteve-se presente para evitar maiores conflitos e dispersar estes grupos”, contou o comandante da 2ª Companhia do 5º Batalhão de Polícia Militar da Cidade Azul, capitão Josias Machado Severino.

Os policiais militares tinham como prioridades, além de prevenir e combater brigas e discussões, não permitir que veículos plotados ficassem a menos de 50 metros dos colégios eleitorais. Em Tubarão, cerca de 12 automóveis foram removidos a pedido da Polícia Militar. “Primeiro tentávamos um contato com o proprietário, se não tivéssemos êxito, aí sim aplicávamos as providências cabíveis”, explicou o capitão. Este tipo de ação das guarnições ocorreu nas imediações do Colégio São José, Unisul, Colégio Henrique Fontes, Escola Senador Francisco Benjamin Gallotti e Cedup. 

Josias enfatiza que desde o início da campanha eleitoral, muitas medidas foram tomadas para facilitar o trabalho de todas as forças de segurança e proporcionar um dia tranquilo ao eleitor. “Registramos bem menos ocorrências em relação a pleitos anteriores, principalmente em função de algumas mudanças na legislação e a atuação mais presente de profissionais da justiça eleitoral”, destaca o capitão.

Prisões e apreensões são registradas
Um vídeo viralizou ontem na internet com imagens de um ‘cidadão’ flagrado no momento em que comprava voto de um ‘eleitor’. O homem, de cerca de 40 anos, aparece em frente à Escola João Teixeira Nunes, no bairro Morrotes, em Tubarão, entrega algo para outro e lhe repassa uma nota em dinheiro.

Foi um dos primeiros casos de compra de votos na região, que configurou crime eleitoral. O homem foi conduzido à Central de Plantão Policial (CPP), pagou fiança e liberado, porém responderá judicialmente pelo delito. 

Na madrugada de ontem, o filho de um candidato da região foi preso e autuado por porte ilegal de arma. No momento em que ocorreu a detenção, ele estava em Capivari de Baixo. Outras duas pessoas também receberam voz de prisão. 

Com o acusado, além da arma, havia 1,7 mil em dinheiro, um cheque de RS 600,00, tickets de combustível e vales-compras de supermercados. Ele foi liberado e responderá o processo em liberdade. 

Na Escola de Educação Básica Hercílio Luz, no centro da Cidade Azul, a Polícia Militar precisou separar dois grupos que travavam uma discussão ontem à tarde e ninguém foi detido. Em Pedras Grandes, na noite deste sábado, por volta das 23 horas, uma arma (revólver de calibre 38) também foi apreendida. Três pessoas que estavam nas proximidades de um comitê foram abordadas por uma guarnição. Um revólver de calibre 38 foi apreendido. 

Em Imbituba, um vereador foi preso ontem por desacato à autoridade (Polícia Militar).